A paz de estar em contato com a natureza

Há uma preciosidade em estar perto da natureza. É notável, principalmente para quem mora em cidade grande como eu, o quão bem faz a nós estar rodeado do verde das árvores, da grama. Mas, se soubermos apreciar com mais profundidade, perceberemos que o bem que isso nos faz é algo além do que pensamos.

A natureza é como um templo sagrado. Ela nos permite entrar em contato com a Terra, o nosso lar; com Deus, o criador; com o Universo e com nós mesmos. É uma fonte inesgotável de energia vital, e por esse motivo nos sentimos tão revigorados quando nela recarregamos nossas próprias energias.

Anúncios

David Bowie: o homem que caiu na Terra

A minha intimidade com a escrita simplesmente se desfaz quando tento escrever sobre David Bowie. Olhei para essa tela em branco durante dois longos dias e parece que meu acervo pessoal de palavras estava esgotado. Mas, correndo os dedos pelo teclado, espero ter encontrado a coisa certa pra dizer.

David Robert Jones, o homem que caiu na Terra, agora está em sua jornada para conquistar as estrelas. Eu não lembro tão bem como Bowie foi introduzido a minha vida. Space Oddity foi, certamente, meu primeiro contado com David. Acredito nisso porque tenho uma vaga lembrança de estar ouvindo essa música, suspirar fundo e dizer: “eu amo essa canção!”. Tenho quase certeza de que já o ouvira antes, mas não sei; talvez fosse aquela sensação incrível de já conhecer determinada pessoa há anos sendo que, na verdade, acabou de conhecer. Mas tenho total certeza do quanto sua arte mudou minha vida, a minha visão, e o quanto a minha admiração por ele, a partir do momento que o conheci, só aumentará a cada dia.

Certa vez, um amigo me perguntou o que David Bowie significa pra mim. Naquele momento, eu não soube o que responder. E, hoje, pensando melhor sobre, eu sinto que a essência, as percepções, a voz e o universo que David criou, fazem com que eu me sinta parte de algo e que eu realmente não estou sozinha, porque quando alguém toca a minha alma, faço dela um abrigo; e, além disso, ele se tornou parte do que sou. É complicado explicar, e mais do que isso: não é necessário.

A notícia de sua partida me envolveu em um grande vazio. Lembro bem que, naquela manhã, após receber a notícia de que um ser tão especial nasceu – a minha prima – , soube que Bowie nos deixou. Foi uma sensação terrível que me acompanha até o momento. Mas hoje, completando dois anos que ele se foi, apesar da tristeza por uma perda tão grande, sou grata ao Universo por ter conhecido um ser tão incrível e talentoso, e pela maravilhosa herança que deixou na Terra – a sua arte, sua voz, a sua lembrança. Sei que sua voz sempre ecoará no ouvido dos que o admiram e sua luz está fragmentada em cada estrela que nossos olhos são capazes ou não de enxergar.

Se tratando de David, acho que nunca encontrarei as palavras certas a dizer, mas espero que a viagem do meu menino Bowie pelas estrelas esteja sendo incrível, apesar da triste ausência. E que a lembrança de um homem e artista incomparável ecoe por gerações, porque dessa forma, ele sempre estará vivo em nossos corações.

Sua existência foi e sempre será um presente para esse planeta.